Migrações: implicações passadas, presentes e futuras

Autores

Paulo Eduardo Teixeira (ed)
UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Marília, Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC.
https://orcid.org/0000-0003-3246-5059
Antonio da Costa Braga (ed)
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília.
https://orcid.org/0000-0002-5929-1012
Rosana Baeninger (ed)
Universidade Estadual de Campinas, Reitoria, Núcleo de Estudos de População.

Palavras-chave:

Migração – História – Séc. XVIII-XX, Migração internacional, Migração interna

Sinopse

O processo de migração é parte inerente do movimento de constituição da nação brasileira. Até a década de 1930, a imigração internacional dominou o processo. Desde então, ele é resultado da mobilidade interna da população. Nos anos 1980 e 1990, o país conheceu a experiência de uma pequena emigração internacional. Na década passada, foi retomada a imigração internacional, em especial daquela oriunda dos países limítrofes. Além disso, se observou alterações na densidade e nos vetores de destino da migração interna. O livro apresenta uma reflexão abrangente das características e das tendências históricas e recentes da migração no país, algumas delas como resultado das pesquisas realizadas no âmbito do Projeto Observatório das Migrações no Estado de São Paulo, financiado pela FAPESP. É inquestionável a oportunidade da reflexão sobre o tema, quando se considera a reabertura da perspectiva de desenvolvimento socioeconômico do país, que tem sido caracterizada por uma maior descentralização do crescimento econômico. Se concretizado, o desenvolvimento deverá ser acompanhado da mobilização interna da população. Portanto, é evidente a necessidade de entender a dinâmica migratória, seus efeitos sociais e suas demandas para as políticas públicas no momento presente. Os ensaios reunidos e que foram discutidos no I Seminário Migrações e Cultura, apresentam abordagens de naturezas histórica, setorial, regional e social, propiciando uma leitura que contribui para a reflexão das relações entre desenvolvimento e migração. Com certeza, o leitor interessado no tema será devidamente recompensado pelas análises encontradas na publicação.

Selo Editorial:

Logo_e-book_-_Oficina1.jpg      Logo_e-book_-_Cultura_academica1.jpg

Apoio:

Logo_e-book_-_Capes1.jpg

Capítulos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Eduardo Teixeira, UNESP, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Marília, Faculdade de Filosofia e Ciências - FFC.

Graduado em História pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (1987), realizou mestrado em História Social pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP/Franca (1999), doutorado em História Econômica pela Universidade de São Paulo - USP (2005), e um pós-doutorado em Sociologia peça UFSCar (2018-2019). Desde 2006 é professor assistente doutor da UNESP, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", junto ao Departamento de Ciências Políticas e Econômicas (DCPE) da Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP, campus Marília, bem como é docente credenciado junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da mesma instituição. Atua também no Mestrado Profissional de Sociologia em Rede Nacional (ProfSocio), criado em 2017. Tem experiência nas áreas de História do Brasil e Demografia Histórica, com ênfase nos seguintes temas: população, família, gênero, chefia de domicílio, movimentos migratórios, escravidão, economia e sociedade. Desde 2004 vem se dedicando também aos estudos voltados para o uso da imagem no ensino de História e Sociologia por meio de projetos de extensão. No âmbito da gestão foi chefe do DCPE e coordenador do Conselho de Curso de Ciências Sociais, ocupando representação docente em diversas comissões locais. Como associado da ANPUH-SP assumiu a presidência da mesma para o biênio 2020-2022.

Antonio da Costa Braga, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília.

É professor e pesquisador do Departamento de Sociologia e Antropologia e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp, SP, Brasil. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, mestrado em Sociologia pela Universidade de São Paulo e doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pós-doutorado pelo Center for Latin American Studies da University of Florida, UF, Estados Unidos. Atua nas áreas de Antropologia da Religião e Antropologia das Migrações. È coordenador do GEMIIN , Grupo de Estudos sobre Migrações Internacionais.

Rosana Baeninger, Universidade Estadual de Campinas, Reitoria, Núcleo de Estudos de População.

Possui graduação Bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1984), mestrado em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (1992) e doutorado em Ciências Sociais (Área Estudos de População) pela Universidade Estadual de Campinas (1999), Professora Livre Docente (2012) na área de População e Ambiente no Departamento de Demografia-UNICAMP. Pós-Doutorado (Estágio Sênior) na Universidade da Califórnia, Davis (2014-2015).Bolsista Produtividade PQ 1A/CNPq. Atualmente é Professora Aposentada-Colaboradora do Departamento de Demografia do IFCH- Universidade Estadual de Campinas e pesquisadora do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó- NEPO/UNICAMP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Demografia e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - UNICAMP. Representante Docente no Conselho Universitário da UNICAMP (2015-2017).Prêmio Zeferino Vaz 2015 pelo reconhecimento acadêmico. Representante Docente na Câmara de Administração da UNICAMP (2016-2017). Coordenadora do Núcleo de Estudos de População- NEPO (2006-2009), Secretária geral da Associação Brasileira de Estudos Populacionais -ABEP (2005-2006), Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Demografia -IFCH/UNICAMP (2000-2006), Coordenadora Adjunta da Área de Planejamento Urbano e Regional/Demografia na CAPES (2008-2010), Assessora na Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UNICAMP (2009-2013), Representante da área de Demografia no Comitê Assessor do CNPq (2011-2014). Membro da Comissão Consultiva de Estatísticas Demográficas - IBGE (2014-2015). Coordenadora na UNICAMP do Grupo de Trabalho Cátedra Sérgio Vieira de Mello para Refugiados/ACNUR (2017-2019). Responsável pela criação da disciplina Estágio Humanitário na UNICAMP (2019). Membro do Comitê Editorial da Revista Brasileira de Estudos de População (2017-2020). Membro do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Estudos Populacionais - ABEP (2019-2020 e 2021-2022). Membro da Editoria da Série Investigaciones Latinoamericanas en Población -Asociación Latinoamericana de Población (2021/2022). Coordenadora do Observatório das Migrações em São Paulo ( desde 2008). Temas de pesquisa: migração interna e internacional, urbanização, dinâmica da população.

Aparecida Amorim

Possui doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2015), mestrado em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (2002) e bacharelado e licenciatura em Ciências Sociais (1996). Possui experiência de pesquisa na área de Comunicação e Política e de Migração Internacional, e seus interesses incluem migração internacional, gênero e educação.

Maria Silvia C. B. Bassanezi

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1966) e doutorado em Ciências (História) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1974). Atualmente é pesquisadora/historiadora do Núcleo de Estudos de População (NEPO) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Membro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, ABEP, desde 1986, membro da International Union for the Scientific Study of Population, IUSSP, desde 1991, membro da Associación Latinoamericana de Población, ALAP. Realiza projetos de pesquisa centrados na área de Demografia Histórica - Família e Nupcialidade, Distribuição Espacial da População e Imigração Internacional (São Paulo, séculos XIX e XX).

Maria do Rosário Rolfsen Salles, Universidade Anhembi Morumbi, Programa de Mestrado em Hospitalidade.

Maria do Rosário Rolfsen Salles possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1966), Pós- Graduação em Ciências Sociais (USP-1971), e Doutorado em Ciências Sociais- Sociologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1974). Pós-Doutoramento em Sociologia Urbana junto à École des Hautes Études en Sciences Sociales, de 1974 a 1976 sob orientação de Manuel Castells e Centre de Sociologie Européenne, de 1981 a 82, sob a orientação de Pierre Bordieu. Além disso estagiou no Centre de Sociolgie Urbaine sob a orientação de Paul Rendu em 1987 e no Centro Studi Emigrazione, Roma, em janeiro de 1996 sob supervisão de seu Diretor, Pe. Gianfausto Rosoli. Trabalhou desde 1967 como Docente e pesquisadora junto à Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, Campus de Araraquara, de onde se aposentou em 1991. Trabalhou no Instituto de Estudos e pesquisa em Ci~encia política de São Paulo (IDESP) de 1991 a 2001. trabalhou como docente na Universidade Bandeirante de São Paulo (UNIBAN), de 19991 2001 2 na UNIBERO, de 2001 a 2003. A partir de 2004, passou a integrar o corpo docente e de orientadores da Universidade Anhembi Morumbi, junto ao Mestrado em Hospitalidade. Áreas de atuação: Sociologia, com ênfase em Sociologia Urbana, Metodologia de pesquisa, Hospitalidade, imigracao, cidade, turismo, etc.

Sênia Regina Bastos, Universidade Anhembi Morumbi, Diretoria de Pesquisa e Extensão, Mestrado em Hospitalidade.

Sênia Bastos é bacharel (1990), mestre (1997) e doutora (2001) em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Bolsista de Produtividade em Pesquisa (nível 2 - CNPq), atualmente é professora do Programa de Pós Graduação Mestrado e Doutorado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi. É coordenadora do projeto de pesquisa Turismo e Legado Étnico (Edital Universal CNPq), líder do Grupo de Pesquisa Dimensões e Contextos da Hospitalidade (UAM) e membro do Comitê Científico Nacional sobre Turismo Cultural do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios - Icomos. Foi diretora científica da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação e Pesquisa em Turismo - ANPTUR (2005 a 2009), editora da Revista Brasileira de Turismo - RBTur (2007 a 2009) e editora da Revista Hospitalidade (2013-2015). Na Prefeitura Municipal de São Paulo (1989 a 2000) foi diretora de pesquisa do Centro Cultural São Paulo e pesquisadora do Departamento do Patrimônio Histórico. Apresenta experiência em pesquisa na área de história, hospitalidade e turismo, cujas temáticas se relacionam à história do turismo, gastronomia, imigração e patrimônio cultural.

Maria de Fátima Guedes Chaves

Possui graduação em Estatística pela Universidade de São Paulo (1976) e doutorado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (2009). Atualmente é professor da Universidade Estadual de Campinas e professor da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. , atuando principalmente nos seguintes temas: população infanto-juvenil, filiação religiosa e população carente.

Odair da Cruz Paiva, Universidade Federal de São Paulo, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Departamento de História.

ODAIR DA CRUZ PAIVA é Bacharel em História pela PUC-SP em 1988, Mestre em Sociologia pela UNICAMP (1993) e Doutor em História Social pela USP (2000). Possui Pós-Doutorado em Demografia pelo Núcleo de Estudos de População -NEPO-UNICAMP (2010). Atualmente é Professor do Departamento de História e do Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). É pesquisador do Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura Espaço e Memória das Universidades do Porto e da Universidade do Minho (Portugal). É líder do Grupo de Pesquisa História, Memória, Educação e Patrimônio Cultural. Desde 2007 é membro do Conselho Editorial da "Travessia Revista do Migrante". Entre 2008 e 2010 foi Conselheiro junto ao CONDEPHAAT. Entre 2014 e 2018 foi Conselheiro junto ao Conselho do Patrimônio Histórico de Guarulhos. Fez parte do Conselho de Administração do Memorial do Imigrante entre 2006 e 2009; foi pesquisador do Laboratório de Estudos Sobre a Intolerância (LEI) da Universidade de São Paulo no mesmo período; atuou como pesquisador junto ao Núcleo de Estudos de População (NEPO- UNICAMP) entre 2004 e 2010. Entre 2011 e 2013 foi membro do Grupo de Trabalho Interinstitucional sobre o Patrimônio Cultural do Café ? IPHAN. Atua na área de Migrações, Patrimônio Cultural e Museus. (06/04/2007) 

Verena Sevá Nogueira, Universidade Federal de Campina Grande, Reitoria, Unidade Acadêmica de Ciências Sociais.

Possui doutorado em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É professora adjunta III da Unidade Acadêmica de Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande desde outubro de 2011. Tem experiência nas áreas da Antropologia e Sociologia, com pesquisas versando sobre os temas: campesinato, territorialidade, mobilidade espacial, redes sociais, trocas, relações de gênero e geracional 

Juliana Biondi Guanais, Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Instiututo Latino-Americano de Economia, Sociedade e Política.

Professora do Instituto Latino-Americano de Economia, Sociedade e Política (ILAESP) da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Professora do Programa de Pós-graduação Sociedade, Cultura e Fronteiras da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), atuando na linha de pesquisa Trabalho, Política e Sociedade. Bacharel e Licenciada em Ciências Sociais pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (2007). Mestre em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia do IFCH-UNICAMP (2010). Doutora em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia do IFCH-UNICAMP (2016). Doutorado sanduíche realizado na Facultad de Ciencias Políticas y Sociales da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM) sob supervisão do prof. Dr. Adrián Sotelo Valencia. Líder do Grupo de Pesquisa sobre Trabalho (UNILA/CNPq) e pesquisadora do Grupo de Pesquisa 'Estudos sobre o mundo do trabalho e suas metamorfoses' (UNICAMP/CNPq). Pesquisadora colaboradora do Centro de Estudos Rurais (CERES) da UNICAMP desde 2005. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia do Trabalho e Sociologia Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: trabalho, assalariamento rural, pagamento por produção, superexploração do trabalho, intensificação do trabalho, agroindústria canavieira. Organizadora/autora dos livros 'Superexploração do trabalho no século XXI: debates contemporâneos' (Práxis, 2018) e de 'Pagamento por produção, intensificação do trabalho e superexploração na agroindústria canavieira brasileira' (Outras Expressões/FAPESP, 2018)

Rosana Pinheiro-Machado, University of Bath, Department of Social and Policy Sciences.

Pinheiro-Machado é professora de Desenvolvimento Internacional do Department of Social and Policy Sciences na University of Bath e Fellow da Higher Education Academy do Reino Unido. Integra, como investigadora principal, o projeto global "No longer, poor not middle class", desenvolvido entre quatro instituições em quatro países. Foi professora de Desenvolvimento Internacional na Universidade de Oxford de 2013 a 2016. Foi pesquisadora visitante na Harvard University (2012-2013), com bolsa Capes (então chamada de "pos-doutorado") de 2012 a 2013. Graduou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Fez seu doutorado em Antropologia Social pela UFRGS, sendo bolsista da Wenner-Gren Foundation, com doutorado sanduíche pela University College London (UCL). Considerada nas Ciências Sociais brasileiras como uma das pioneiras na produção de trabalho de campo na República Popular da China. Possui diversas publicações em periódicos internacionais (inglês, espanhol, francês e chinês). Sua tese, baseada em dez anos de pesquisa, acompanhou uma cadeia global de mercadorias na rota China-Paraguai-Brasil, com foco no mercado informal e na pirataria. Esse trabalho foi agraciado com os seguintes prêmios: Primeiro Lugar no ?Prêmio ABA/FORD de Direitos Humanos"; "Melhor Tese de Ciências Sociais/ANPOCS" e "Grande Prêmio CAPES de Tese". Autora de sete livros, entre eles Counterfeit Itineraries in the Global South (Routledge, 2017), Made in China (Hucitec, 2011) e China, passado e presente (Artes e Ofícios, 2013), o referencial de sua trajetória acadêmica tem sido a reflexão sobre a modernidade e o desenvolvimento, especialmente no contexto dos BRICS (com ênfase no Brasil e na China). Autora ou organizadora de sete livros. Em seu último livro, "Amanhã Vai Ser Maior" (Editora Planeta, 2019). Pinheiro-Machado analisa a crise brasileira, a ascensção da extrema-direira e as possíveis rotas de fuga. Pinheiro-Machado dedica-se no momento aos temas da propriedade intelectual, pirataria e informalidade; comércio internacional, produção, consumo e mercado; pobreza, política nas periferias urbanas e desenvolvimento em economias emergentes. Já foi colunista da CartaCapital e do Intercept. Atualmente é colunista do El Pais. Tem textos publicados com frequência no The Washington Post 

Roberta Guimarães Peres, Universidade Federal do ABC, Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas.

Socióloga (1999-2004), Mestre (2004-2006) e Doutora (2006-2009) em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas, com bolsa do Institute de Recherche pour le Développement (IRD - França) e CNPq. Pós-Doutorado em Demografia (FAPESP). Docente da Universidade Federal do ABC, na área de Políticas Públicas, sub-área Planejamento, Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas. Coordenadora do Bacharelado em Políticas Públicas. Coordenadora da Cátedra Sergio Vieira de Mello (UFABC/ACNUR). Coordenadora do Projeto "Migração Feminina: um debate teórico e metodológico acerca dos estudos de gênero" (CNPq).

Gabriela Camargo de Oliveira

Possui graduação em Antropologia pela Universidade Estadual de Campinas (2006), especialização em Política e Relações Internacionais pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo (2009) e mestrado em Demografia pela Universidade Estadual de Campinas (2012). Tem experiência na área de Demografia, Antropologia e Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: migração, latino-americanos, migração e trabalho, crianças imigrantes e segunda geração. 

Rosa Sebastiana Colman, Universidade Federal da Grande Dourados, Reitoria, Faculdade Intercultural Indígena.

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1999), mestrado em Desenvolvimento Local pela Universidade Católica Dom Bosco (2007) e doutorado em Demografia pela UNICAMP (2015). Possui domínio da língua Guarani e tem experiência na área de ensino de Geografia, com ênfase em Territorialidade, demografia e Educação Indígena. Atualmente é professora na área de ciências humanas no curso de licenciatura intercultural indígena teko arandu e no mestrado em educação e territorialidade(PPGET) na Faculdade Intercultural Indígena da Universidade da Grande Dourados (FAIND/UFGD) e Docente permanente no programa de pós graduação em antropologia da Faculdade de Ciências Humanas(PPGANT/FCH/UFGD).

Marta Maria do Amaral Azevedo, Universidade Estadual de Campinas, Reitoria, Núcleo de Estudos de População.

Demógrafa e antropóloga, pesquisadora do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó /Nepo da UNICAMP e professora do Programa de Pós Graduação em Demografia do IFCH/Nepo/UNICAMP. Membro do Conselho Consultivo do UNFPA (Fundo de População da ONU no Brasil) e coordenadora do GT Demografia dos Povos Indígenas da ABEP (Associação Brasileira de Estudos Populacionais), membro da Comissão Consultiva do Censo Demográfico do IBGE, membro do Conselho Diretor do Instituto Socioambiental. Foi coordenadora do Nepo, presidente da Fundação Nacional do Índio - FUNAI (órgão do Ministério da Justiça responsável pela elaboração, proteção e implementação das Políticas Indigenistas no Brasil) e consultora dos Ministérios da Educação e Saúde no que diz respeito à elaboração e monitoramento das políticas públicas para povos indígenas. Possui experiência na área de Demografia, com ênfase em Demografia Antropológica, Demografia de Etnias, atuando principalmente com os seguintes temas: povos indígenas, saúde e educação indígena, demografia, etnologia indígena. Tem trabalhado com os temas de produção de informações demográficas sobre os povos indígenas, indicadores socioambientais das terras indígenas e com os povos Guarani e da região do Alto Rio Negro/AM, abordando os temas de educação, mobilidade espacial, segurança alimentar e acesso ás políticas públicas.

Lili Kawamura

Socióloga pela USP, possui mestrado em Sociologia pela Universidade de São Paulo-USP (1977) ,doutorado em Sociologia pela USP(1986) e Livre-Docência em Educação pela Universidade Estadual de Campinas(1997), onde é atualmente professora aposentada e pesquisadora da Instituição. Fez pós-doutorado na Universidade de Nagoya (Japão-1993-94). Foi professora visitante na Universidade de Tenri (1994) ; professora colaboradora da Universidade de Estudos Estrangeiros de Kioto (1994); professora no mestrado em América Latina(Area Studies) da Universidade de Tsukuba, (1997-2000). Área temática de pesquisa: trabalho, cultura , gestão de pessoas, migração internacional e relações internacionais, especialmente entre Brasil e Japão/países asiáticos. Migração internacional e refugiados para o Brasil.Vários livros publicados sobre tecnologia, trabalho e educação; migração de trabalhadores brasileiros ao Japão, além de artigos nessas áreas publicados no Brasil e no Japão. Vem participando de congressos e seminários nacionais e internacionais nas áreas de migrações internacionais, diversidade cultural (Brasil e Japão) e Imigrantes e refugiados atuais no Brasil.

Publicado

November 8, 2012

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Detalhes sobre o formato disponível para publicação: E-book

E-book

Dimensões físicas