Experiência, educação e contemporaneidade

Autores

Pedro Angelo Pagni (ed)
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, Departamento de Administração e Supervisão Escolar.
Rodrigo Pelloso Gelamo (ed)

Sinopse

A experiência tem sido um tema filosófico recorrente em boa parte da história da Filosofia, tornando-se objeto de intensa polêmica, na modernidade, e se constituindo como um problema na contemporaneidade. Com o diagnóstico de seu empobrecimento no âmbito da vida social, em meados do século XX, e das inúmeras tentativas filosóficas de subordinarem a uma linguagem as suas formas de expressão, no campo filosófico, a experiência perde o valor que até então lhe era atribuído socialmente, por um lado, convertendo-se em experimentum, no meio acadêmico, graças ao desenvolvimento das ciências modernas e de sua institucionalização, nas universidades. Por outro lado, transformando-se num problema que tanto afeta o âmbito da existência cotidiana quanto perturba o almejado desenvolvimento científico e tecnológico, essa desqualificação da experiência, como condição necessária à formação humana e ao pensar que o sujeito exerce sobre si mesmo, a fim de melhor se conduzir no mundo, passa a circular nos diversos campos que permitem a interação entre a vida e a ação consciente, dentre os quais a educação. A repercussão desse problema contemporâneo, no campo da educação, foi objeto de análise em diversas pesquisas e estudos atuais em Filosofia da Educação ou sobre o ensino de Filosofia. Não obstante a abordagem dessa questão, na educação, pesquisadores desses campos vêm discutindo, não apenas seus limites, como também as condições de possibilidades de se retomar a experiência como elemento imprescindível à prática do pensar, na práxis educativa. 
Para isso, recorrem a uma ampliação das linguagens e da comunicação empregadas nessa prática, para compreender as suas dimensões estéticas, éticas e políticas. Assim, tais pesquisadores se apropriam das perspectivas filosóficas contemporâneas, as quais tratam dessa temática, a começar pelo Pragmatismo, passando pela Filosofia Analítica, até chegar aos expoentes das Teorias Críticas e da Filosofia da Diferença.

Selo Editorial:

Logo_e-book_-_Oficina1.jpg      Logo_e-book_-_Cultura_academica1.jpg     Logo_e-book_-_poiesis.jpg

Capítulos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Angelo Pagni, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, Departamento de Administração e Supervisão Escolar.

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1987), mestrado em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1994), doutorado em Educação (1999) e Livre-docência em Filosofia da Educação (2011) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atualmente é professor associado da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Foi coordenador do GT-Filosofia da Educação da ANPEd (2012-2013). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia da educação, filosofia da educação no brasil, filosofia contemporânea e educação e ensino de filosofia, biopolítica e inclusão escolar. 

Alexandre Fernandez Vaz, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Departamento de Metodologia de Ensino

Alexandre Fernandez Vaz é Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 1995), onde estudou com Selvino Assmann e Marli Auras, e Doutor em Ciências Humanas e Sociais (Dr. Phil.) pela Gottfried Wilhelm Leibniz Universität Hannover, Alemanha, onde estudou, entre outros, com Detlev Claussen, Andreas Trebels, Oskar Negt e Regina Becker-Schmidt. Frequentou ainda os cursos de Psicologia (UFSC, IMES) e de Sociologia, Filosofia e Psicologia Social (Universidade de Hannover). Na UFSC desde 1998, onde hoje é Professor Titular, foi Coordenador Geral de Pesquisa do Centro de Ciências da Educação e membro da Câmara de Pesquisa da instituição. É professor permanente dos programas de Pós-graduação em Educação (mestrado e doutorado) e Interdisciplinar em Ciências Humanas (Doutorado), e coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Educação e Sociedade Contemporânea. É representante da UFSC no Núcleo Disciplinar de Educação para a Integração da Associação de Universidades Grupo Montevidéu (AUGM) ? (Portaria n 13/2019/SINTER, 19/12/2019). É bolsista de produtividade em pesquisa CNPq desde 2005, nível 1 a partir de 2014 (atualmente 1C). Foi Pesquisador Visitante (Gastwissenschaftler) na Gottfried Wilhelm Leibniz Universität Hannover, no Instituto de Sociologia (Área de Trabalho: Teoria Sociológica) e desenvolveu pesquisa pós-doutoral nos Arquivos da Academia das Artes de Berlim. Desde 2006 vem atuando como Professor Visitante na Universidad Nacional de La Plata, Argentina, na Universidad de Antioquia, na Colômbia, e na Universidad de La República e na ACJ, Uruguai. Tem colaborado com instituições de pesquisa como SCIELO, DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), Fundação Humboldt (Alemanha), CSIC (Comisión Sectorial de Investigación Científica Uruguay) e Secretaria de Ciencia y Tecnica (UNLP Argentina), além de CNPq, CAPES, FAPESP e outras fundações estaduais de pesquisa. Desde 2002, com exceção de três anos, compõe a Comissão interna de avaliação e acompanhamento, do CED, do programa PIBIC/UFSC/CNPq, tendo a coordenado por oito anos. Neste tempo avaliou o programa representando o CNPq em várias instituições, como UFMS, UDESC, UNESC, UNIOESTE. É editor dos Cadernos de Formação RBCE e da Contemporânea: uma quase revista, publicação destinada ao debate crítico sobre cultura e sociedade. Foi editor-chefe da Revista Brasileira de Ciências do Esporte, durante dez anos, e editor-adjunto da Extensio: revista de extensão da UFSC, durante um ano e meio. É revisor de duas dezenas de periódicos, no Brasil e no exterior, assim como componente de comitês e comissões editoriais de diversas revistas, no Brasil, Argentina, Colômbia, Espanha. Compôs a comissão de avaliação quadrienal dos programas de pós-graduação interdisciplinares (Câmara 2, Humanidades), na CAPES (2017). Atua eventualmente como tradutor do Alemão, do Espanhol e do Inglês ao Português. Suas principais publicações se referem à Teoria Social Contemporânea, Estética, Sociologia da Cultura e da Política e Processos de Escolarização, com ênfase nas experiências corporais.

Tarso Mazzotti, Universidade Estácio de Sá, Programa de Pós-graduação em Educação

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1972), mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1978) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1987). Professor Titular pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000). Atualmente é pesquisador associado da Fundação Carlos Chagas e professor adjunto da Universidade Estácio de Sá. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: representações sociais, retórica, filosofia da educação, epistemologia e representação social. 

Cristiane Gottschalk, Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação

Possui graduação em Matemática Aplicada pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Matemática Aplicada pela Universidade de São Paulo (1985), doutorado em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade de São Paulo (2002) e pós-doutorado no Instituto de Filosofia da Universidade Nova de Lisboa (2016). É professora doutora na graduação e na pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Coordenadora da área de "Cultura, Filosofia e História da Educação" no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da USP. Pesquisadora dos grupos de pesquisa " Estética, Subjetividade, Cultura, Educação" e coordenadora do grupo "Filosofia, Educação, Linguagem e Pragmática", cadastrados no diretório dos grupos de pesquisa do CNPq. Atua nas áreas de Filosofia da Educação, Filosofia da Linguagem e Educação Matemática, tendo como referencial teórico central as ideias do segundo Wittgenstein. Aborda principalmente os seguintes temas: as relações entre ensino e aprendizagem, a formação de conceitos no contexto escolar, o papel da persuasão no ensino; e atualmente tem investigado problemas pedagógicos e conceituais advindos do uso metafísico de conceitos psicológicos no contexto escolar. 

Marlene de Souza Dozol, Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1985), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993), Doutorado em Educação, pela Linha de Pesquisa História e Filosofia da Educação, pela Universidade de São Paulo (2001) e Pós-doutorado pelo departamento de Filosofia da FFLCH/USP. É Professora Titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Na Graduação em Pedagogia foi responsável pela disciplina Filosofia da Educação I; nas licenciaturas pela disciplina de Teorias da Educação e na Pós-Graduação em Educação pelas disciplinas de Filosofia da Educação,Teorias da Educação e Seminários de Pesquisa e Especiais oferecidos pela Linha de Pesquisa Filosofia da Educação. Compõe o Grupo de Pesquisa GRAFIA - Grupo de Estudos em Filosofia da Educação e Arte/CNPQ. Dedica-se aos temas da formação humana, das relações entre filosofia da educação e estética (literatura e imagens plásticas) e das relações entre natureza e cultura. Entre as principais publicações, destacam-se os livros "Da figura do mestre", uma co-edição das editoras da USP e Autores Associados e "Rousseau - Educação: a máscara e o rosto", pela Editora Vozes, além de artigos em periódicos de circulação internacional e nacional. É vinculada ao Grupo Interdisciplinar de Pesquisa Jean-Jacques Rousseau (UNICAMP). Recentemente esteve no Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, na condição de professora visitante..Atualmente pertence à Linha de Pesquisa Filosofia da Educação, ligada ao Programa de Pós-graduação em Educação, na instituição de origem.

José Pedro Boufleuer, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Departamento de Humanidades e Educação

Possui graduação em Estudos Sociais pelo Instituto Educacional Dom Bosco (1983), graduação em Filosofia pelo Instituto Educacional Dom Bosco (1984), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (1990) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996). Professor da UNIJUÍ ? Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul ? atua como docente em cursos de graduação e de pós-graduação ? Mestrado e Doutorado. Desenvolve pesquisas no âmbito da Filosofia da Educação, tematizando questões como racionalidade, linguagem, conhecimento, formação, docência e aprendizagem. Autor de vários estudos em que busca aproximações entre a educação e o pensamento de Jürgen Habermas, notadamente ao que se refere a sua Teoria da Ação Comunicativa e à perspectiva de um pensamento pós-metafísico.

Cláudio Almir Dalbosco, Universidade de Passo Fundo, Faculdade de Educação, Mestrado Em Educação

Possui graduação em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (1990), especialização em Epistemologia das Ciências Sociais pela Universidade de Passo Fundo (1992), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1996), doutorado em Filosofia pela Universität Kassel - Alemanha (2001), pós-doutorado pelo Núcleo Direito e Democracia (NDD) do CEBRAP (2013). Professor titular da Universidade de Passo Fundo, atuando no curso de Filosofia e no PPG em Educação e pesquisador do CNPq. Orienta em mestrado e doutorado. Tem experiência na área de Filosofia, Filosofia da Educação, Teorias do Conhecimento e Teorias Educacionais . Eixos temáticos de investigação: Iluminismo e pedagogia, com ênfase em Rousseau e Kant; formação humana, cuidado de si, reconhecimento e pensamento pós-humanista, com ênfase em pensadores contemporâneos como Martin Heidegger, Michel Foucault e Axel Honneth. Conceitos nucleares: ação humana, ação pedagógica, formação humana, formação pedagógica, reconhecimento, educação natural, liberdade moral e maioridade. Possui publicados vários livros, capítulo de livros e artigos em periódicos nacionais e internacionais, com destaque para: Kant & A Educação (2011); Educação natural em Rousseau: das necessidade da criança e dos cuidados do adulto (2011); Die sprachliche Kosntitution des Selbst (Self) und die pädagogische Handlung (2014); Condição humana e educação do amor próprio em Rousseau (2016);Uma leitura não-tradicional de Johann Friedrich Herbart: Autogoverno pedagógico e posição ativa do educando (2018); Conditio humana und tugendhafte Willensbildung: Untiefen der Anerkennung bei Rousseau und Honneth (2018); John Dewey como leitor de Jean-Jacques Rousseau: o problema da formação das capacidades humanas (2019). 

Amarildo Luiz Trevisan, Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação, Departamento de Fundamentos da Educação

Professor Titular de Filosofia da Educação do PPG Educação da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Professor Colaborador do PPG Educação da Universidade de Caxias do Sul (UCS); Pesquisador PQ do CNPq desde 2001 (atualmente PQ 1D-CNPq). Consultor/Avaliador de projetos CNPq, CAPES, INEP e FAPESB. Formação: Pós-Doutor em Humanidades - Universidade Carlos III de Madri (UC3M - 2014-2015, com apoio do CNPq); Doutor em Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2000, com apoio da CAPES e FAPERGS); Mestre em Filosofia - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 1992, com apoio da CAPES); Especialista em História (FUBRAE - Goiânia 1986); Graduado em Filosofia - Faculdade Imaculada Conceição (FAFIMC/UFRGS, 1982). Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado - PPGE/UFSM (2012-2014); Coordenador Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado - PPGE/UFSM (2011). Membro do Comitê de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFSM (2019-2020); Membro do Comitê de Iniciação Científica da UFSM (2020-2021); Membro do GT Filosofia da Educação da ANPEd desde 1997, Membro do Comitê Científico da ANPEd Nacional (2010-2011); Membro do GT Universidades e Políticas de Educação Superior da Rede CLACSO - Conselho Latinoamericano de Ciências Sociais; Membro da Sociedade Brasileira de Filosofia da Educação - SOFIE e da Associación Latinoamericana de Filosofia de la Educación - ALFE; Membro do Programa de Políticas Educativas/NEPI/AUGM - Associação de Universidades do Grupo Montevidé; Membro da Comissão Organizadora e Científica do SENAFE e SEINFE - Seminário Nacional e Internacional de Filosofia e Educação: Confluências - UFSM (6ª ed.); Membro do Comitê CT-Infra da UFSM (2014-2018); Coordenador do Eixo 12 - Filosofia da Educação, ANPEd Sul 2016-2018; Membro do Conselho Editorial da Editora da UFSM (2019-2020; 2020-2021), Editora Nova Harmonia (São Leopoldo - RS), Revista Imagens da Educação (UEM), Revista Perspectiva (URI). Revisor de periódicos: Revista Brasileira de Educação (RBE/ANPEd), Educação (UFSM), Currículo sem Fronteiras, Revista História da Educação - RHE (UFRGS), Conjecturas: Filosofia e Educação (UCS), Rizoma (UNISC), Espaço Pedagógico (UPF), Educação (PUCRS), Linhas Críticas (UnB), Impulso (UNIMEP), entre outras. Coordenador dos convênios entre a UFSM e a Universidade Carlos III, de Madrid (UC3M), Universidade Autônoma de Madri (UAM) e Universidade de Huelva (UHU) - Espanha; Líder do grupo de pesquisa Formação Cultural, Hermenêutica e Educação (UFSM/CNPq); pesquisador do grupo de pesquisa Racionalidade e Formação (PUCRS/CNPq); pesquisador do Grupo de Pesquisa Internacional, vinculado à Universidade Autónoma de Madri, PR-16 Formación del Profesorado, Innovación y Complejidad en Educación (FORPROICE - UAM). Visita acadêmica na Universidade Carlos III de Madri (2013, 2014, 2015 e 2018); Universidade de Algarve, Portugal (2015); Universidade Autônoma de Madri (2015, 2018) e Universidade de Huelva, Espanha, (2015). Publicou ou organizou vários livros, capítulos e artigos sobre Filosofia e Educação, com destaque para os livros: Filosofia e Educação: Mímesis e Razão Comunicativa (Editora UNIJUÍ, 2000); Pedagogia das Imagens Culturais: da Formação Cultural à Formação da Opinião Pública (Editora UNIJUÍ, 2002); Reconhecimento do Outro: Teorias Filosóficas e Formação Docente (Mercado de Letras, 2014); Terapia de Atlas: Filosofia da Educação no Contemporâneo (EDUCS, 2020, 2ª edição revista e ampliada);. Atua na área de Filosofia da Educação em interfaces com a formação de professores e a pesquisa educacional na perspectiva da hermenêutica reconstrutiva. Interessa-se pelos temas: imagem, reconhecimento, formação, catástrofe, tecnologia e violência.

Marcus Vinicius da Cunha, Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1980), mestrado em Educação pela Universidade de São Paulo (1988), doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1992) e livre-docência pela Universidade Estadual Paulista (1998). Atualmente é Professor Associado da Universidade de São Paulo (Ribeirão Preto), onde atua no Curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação. É pesquisador do CNPq (nível 1 - D) e coordena o Grupo de Pesquisa Retórica e Argumentação na Pedagogia (USP/CNPq). Suas pesquisas e principais publicações situam-se nas áres de Filosofia da Educação e História da Educação, focalizando os seguintes temas: Análise Retórica, Sofística, Discurso Pedagógico, John Dewey, Pragmatismo, Educação Brasileira e Escola Nova.

Publicado

August 30, 2010

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Detalhes sobre o formato disponível para publicação: E-book

E-book

Dimensões físicas