Tempos de greve na Universidade Pública

Autores

Isabel Loureiro
Maria Candida Del-Masso

Sinopse

Não apenas o declínio do poder aqu1sJtJvo dos seus servidores, mas os reflexos do esvaziamento das responsabilidades do Estado sobre a Educação e a concomitante sinalização da presença voraz do mercantilismo fomentado por interesses internacionais, com tal descuramento veiculados a partir da OMC, constituíram motivação e contexto sob os quais as universidades estaduais paulistas se mobilizaram em prolongada e bem-sucedida greve no ano 2000. As greves, no mais das vezes apoiadas no estopim episódico das reivindicações salariais, desta feita foi muito além disso. Nas mobilizações, nas assembléias, nas discussões, nos documentos e, sobrerudo, no modo de agir de docentes, funcionários e alunos, estiveram sempre vívidas as preocupações de natureza ampla com as condições reais de atuação em ensino, pesquisa e extensão. Para além das casas decimais atinentes ao índice de reajuste, as reuniões, as aulas públicas e as conversas pessoais buscaram sempre levar em conta variáveis complexas e abrangentes, responsáveis a médio e longo prazo pela deterioração das condições gera.is de trabalho e pelas conseqüências nefastas anunciadas pela onda privatista de ampliação de vagas no ensino superior.

Selo Editorial:

 Unesp_Marília_Publcações2.jpg    Logo_e-book_-_Cultura_academica6.jpg

Downloads

Não há dados estatísticos.
Capa para Tempos de greve na Universidade Pública
Publicado
novembro 2, 2001

Detalhes sobre o formato disponível para publicação: Impresso

Impresso
Co-publisher's ISBN-13 (24)
85-86738-20-4
Date of first publication (11)
2001
Dimensões físicas
160mmx230mm

Detalhes sobre o formato disponível para publicação: E-book

E-book
Dimensões físicas