O Campesinato, a teoria da organização e a questão agrária: apontamentos para uma reflexão

Autores

Paulo Ribeiro Cunha (ed)
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, Departamento de Ciências Políticas e Econômicas.
http://orcid.org/0000-0002-7747-5843

Palavras-chave:

Campesinato, Conflitos no campo, Reforma agrária

Sinopse

De saída, cabe notar que o título do livro revela-se muito mais que um nome: trata-se da sua espinha dorsal, verdadeiro eixo articulador das partes e dos capítulos que o compõem. Das inquietações de Marx e Engels, na Inglaterra do século 19, à luta camponesa em terras goianas no miolo do século 20, o que se apresenta é um rico e complexo painel a respeito da reflexão e da ação revolucionárias que tomaram, em momentos diferentes e de diferentes maneiras, o campo como objeto e o campesinato como sujeito. Pode parecer simples, mas não é: em primeiro lugar, pela densidade inerente a cada uma das interpretações que Paulo Cunha escolheu analisar; depois, pelos pontos de contato e de afastamento que ele estabelece entre tais interpretações, às vezes de forma explícita, outras de forma velada; finalmente, e mais importante, pela postura deliberada em fazer desse diálogo com alguns autores fundamentais no terreno do marxismo um diálogo verdadeiro, isto é, não a mera repetição do que eles escreveram, e sim o questionamento crítico de seus escritos. É assim que o conjunto dos artigos, independentes em sua origem, ganham organicidade e força nessa reunião que nada tem de casual, portanto. 

Selo Editorial:

Logo_e-book_-_Oficina1.jpg      Logo_e-book_-_Expressão_popular.jpg

 

Capítulos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Ribeiro Cunha, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília, Departamento de Ciências Políticas e Econômicas.

Livre Docente em Ciência Política -Universidade Estadual Paulista (2016); Doutorado em Ciências Sociais Universidade Estadual de Campinas, (2001) e Mestre em Ciências Sociais pela PUC-SP (1994). Atualmente desenvolve o Pós-Doutorado no INEST: Instituto de Estudos Estratégicos da Universidade Federal Fluminense/ UFF; bem como é Professor Adjunto da Faculdade de Filosofia e Ciências/Unesp - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Campus de Marília) e também nesta instituição, Professor do Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais, com concentração nas seguintes áreas de investigação: Militares e a Sociedade; Movimentos Sociais no Campo e Questão Agrária. Na Ciência Política atua com ênfase em Teoria Política e Pensamento Social Brasileiro, e na mesma unidade, Líder do Grupo de Pesquisa: Democracia, Militares e a Esquerda Militar. Membro e colaborador dos seguintes Institutos e Núcleos de Pesquisa: Instituto Astrojildo Pereira (IAP); Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS) da PUC/SP; Laboratório de Estudos sobre Militares e a Política (LEMP) da UFRJ/RJ; Associação Brasileira de Estudos de Defesa (ABED); Grupo de Pesquisa Discurso, Representações e Práticas Sociais, USO/RJ; Centro de Documentação e Memória (CEDEM), da Unesp; Brazilian Studies Association (BRASA); Grupo de Estudos de Defesa e Segurança Internacional (GEDES); Membro da Comissão de Altos Estudos do Centro de Referência Memórias Reveladas - Arquivo Nacional. Autor e organizador de vários livros, participa do Conselho Editorial de diversas revistas; bem como atuou como Consultor da Comissão Nacional da Verdade entre 2012 e 2014.

Fábio Franzini, Universidade Federal de São Paulo, Campus Guarulhos - Filosofia e Ciências Humanas.

Graduado em História (1993), Mestre (2000) e Doutor (2007) em História Social, todos os três pela Universidade de São Paulo (USP). É Professor Associado do Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo - Unifesp, área de Teoria da História, atuando tanto na graduação como em seus dois Programas de Pós-Graduação - Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) e Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória). Na Unifesp, coordena também, juntamente com o Prof. Dr. Luis Filipe Silvério Lima, o projeto Observatório da História (histobs.hypotheses.org). Foi Pesquisador Residente na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, sediada na Universidade de São Paulo (BBM-USP), no período de novembro de 2019 a outubro de 2020. Fez parte da Diretoria da Seção São Paulo da Associação Nacional de História (Anpuh) na gestão 2018-2020 e faz parte de sua gestão 2020-2022. Foi um dos editores executivos da revista História da Historiografia no biênio 2016-2018, publicação na qual integra o Conselho Consultivo desde 2013. Como pesquisador, interessa-se por temas relacionados à teoria da História, à história da historiografia brasileira, à história intelectual e das ideias e à história do livro, da edição e da leitura. É membro fundador da Sociedade Brasileira de Teoria e História da Historiografia (SBTHH) e da Red Iberoamericana de História de la Historiografia e pesquisador associado aos grupos de pesquisa HISTOR - Núcleo de Estudos de Teoria da História e História da Historiografia (UFRRJ), LABTEO - Laboratório de Teoria da História e História da Historiografia (USP) e LUDENS - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa sobre Futebol e Modalidades Lúdicas (USP). É também "referente externo" do Observatorio Historiográfico del Sur (OBHISUR), coordenado pelo Prof. Dr. Tomás Sansón Corbo na Universidad de la República (Uruguai).

Publicado

December 23, 2012

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Detalhes sobre o formato disponível para publicação: Impresso

Impresso

ISBN-13 (15)

978-85-7743-197-7

Date of first publication (11)

2012

Dimensões físicas

Detalhes sobre o formato disponível para publicação: E-book

E-book

Dimensões físicas